15 dicas de SEO para rankear melhor no Google em 2020

Rankear Melhor no Google em 2020

A medida que nos aprofundamos em nossas estratégias de SEO, em 2020 podemos aproveitar para nos ater ao que fazemos bem e priorizar o tempo para as táticas de busca orgânica que negligenciamos ou administramos da maneira errada.

É bom que aproveitemos todas as oportunidades que o Google oferece ao nosso conteúdo para se classificar bem. Apesar das constantes mudanças do Google e do comportamento do consumidor, um estudo  do BrightEdge de 2019 descobriu que o orgânico comanda 53% de todo o tráfego da web.

Vou apresentar aqui 20 fatos, estatísticas, dicas e práticas que você pode seguir este ano para ranquear melhor no Google.

1. Backlinks são vitais

Independentemente do tamanho, as empresas sempre podem se beneficiar com mais links. Eles são a força vital do domínio e da autoridade da página, que continuam a ser um fator significativo de classificação. Eric Enge coloca isso em perspectiva no mais recente estudo do site Perficient / Digital 2018, Links as a Ranking Factor (Links como Fator de Ranqueamento):

(Nós) não achamos que os links podem resgatar conteúdo de baixa qualidade ou fazer com que conteúdo de relevância fraca obtenha classificação. Além do mais, todo nosso empenho é fazer que nosso conteúdo obtenha reconhecimento e seja publicado em sites de qualidade. Fazer isso bem requer um foco em como você implementa seu marketing e RP para chegar ao público que mais importa para sua empresa. Isso naturalmente fará com que links de alto valor retornem ao seu site e ajudará você a obter as classificações que merece.

2. Conteúdo de qualidade é essencial, mas isto é relativo

Um conteúdo de alta qualidade não garante posicionamento superior no ranking. Links de outros sites, implementação de práticas recomendadas de SEO e ótimo conteúdo trabalham juntos para ajudar suas páginas a alcançar os primeiros lugares no Google e em outros mecanismos de pesquisa.

Vejamos a John Deere. O SEO Moz credita ao domínio uma pontuação (DA) de 70 (em uma escala de 1 a 100). Não é surpreendente que este artigo simples esteja em 5º lugar para “garden plow” (“arado de jardim”), com uma média de 880 pesquisas mensais no Google.

Ranking do site da John deere

O cabeçalho até corresponde a algumas das palavras de pesquisa.

Mas há a revista da marca John Deere, The Furrow. Ela tem uma pontuação de autoridade de domínio de 39 e tem problemas para classificar alguns de seus conteúdos de qualidade.

Por exemplo, o recurso Micro View, Macro Plans está mal classificado, em 49º, para “artrópodes microscópicos”, com 50 pesquisas mensais no Google. Com base no cabeçalho, fica claro que o SEO não é uma prioridade e o conteúdo de qualidade não produz uma grande colheita, mesmo com uma boa redação.

3. Não se preocupe com todos os fatores de classificação

Existe uma grande lacuna entre o impacto da classificação das palavras-chave nos títulos das páginas e cabeçalhos de conteúdo em relação à velocidade de carregamento da página , layout mobile e uso de HTTPS.

Embora não saibamos a real importância de qualquer fator, eu sempre obtenho classificações superiores ajustando títulos e cabeçalhos de página, mesmo quando variáveis de classificação menos importantes obtêm notas baixas.

As classificações do mecanismo de pesquisa variam por vários motivos, incluindo histórico de pesquisa pessoal e geografia (ou seja, Google Local Pack). O Google continua refinando seu algoritmo, conforme observou em 12 de novembro de 2019 em seu canal no Twitter Google SearchLiasion :

Temos atualizações que acontecem o tempo todo na Pesquisa do Google. Se não falarmos sobre eles, não haverá orientação acionável específica a seguir nem alterações a serem feitas, a não ser manter o foco em um ótimo conteúdo, conforme aconselhamos em geral.

Dada a volatilidade do fator de classificação, não é de se admirar que a Searchmetrics agora libere dados do fator de classificação por setor em vez de relatórios gerais.

Em uma pesquisa da  SparkToro de 2019 , mais de 1.500 profissionais de marketing de SEO avaliaram os principais fatores de classificação. A maioria deles (66,3%) acredita que o peso dos fatores de classificação do Google varia de acordo com a consulta.

Os entrevistados priorizaram a relevância do conteúdo e os backlinks de qualidade entre os principais fatores de classificação:

“Os modelos BERT podem, portanto, considerar o contexto completo de uma palavra, observando as palavras que vêm antes e depois dela – particularmente útil para entender a intenção por trás das consultas de pesquisa”, escreve Pandu Nayak do Google, vice-presidente de pesquisa. “Particularmente para consultas mais longas e mais conversacionais, ou pesquisas em que preposições como ‘para’ e ‘para’ importam muito para o significado, a Pesquisa será capaz de entender o contexto das palavras em sua consulta. Você pode pesquisar de uma forma que pareça natural para você. ”

É fácil confundir BERT com RankBrain, a atualização de 2015 como a parte central do algoritmo do Google. O RankBrain aproveita o aprendizado de máquina para gerar resultados de pesquisa, utilizando um amplo conjunto de variáveis (incluindo o histórico de pesquisas relacionadas).

Por causa do RankBrain, você pode classificar para uma frase de palavra-chave que nem mesmo está em seu conteúdo. Em seu estudo de Fatores de Classificação 2.0 2017 , a SEMrush descobriu que 18% dos sites com boa classificação não tinham a palavra-chave em seu conteúdo.

Como pode ser? O Google está cada vez melhor em dimensionar pesquisas com conteúdo relevante – não necessariamente palavras-chave.

O Google se concentra mais nas ideias que o conteúdo transmite do que nas frases-chave. Entre os trilhões de buscas que realiza a cada ano, o Google disse que 15% das buscas são buscas pela primeira vez. O RankBrain faz o possível para entendê-los.

O Google não oferece detalhes sobre o RankBrain, mas o Search Engine Watch tem uma boa peça que vai em mais detalhes:  Google RankBrain: Clearing Up the Myths and Misconceptions.

4. Não espere moleza nos resultados de busca

A classificação em 1º lugar no resultado da busca usando determinadas palavras não é um motivo para comemorar um aumento de tráfego, sabendo como é o resultado quando buscamos palavras chave que revelam intenção de compra. Observe a busca abaixo por um produto específico feita em 08/09/2020. O primeiro resultado de busca orgânico aparece sempre abaixo de pelo menos um grande bloco de anúncios, o que diminui a taxa de cliques. Algumas buscas retornam até quatro resultados pagos e as vezes vídeos acima do primeiro resultado orgânico de página.

Captura de tela da busca do google 2020

O Google muitas vezes fornece tantos conteúdo na página de resultados que os usuários não precisam clicar. Isso acontece quase 49% das vezes, de acordo com um relatório SparkToro de 2019 baseado em dados de clickstream do Jumpshot. O estudo referenciou mais de 1 bilhão de pesquisas na web em 10 milhões de computadores domésticos nos Estados Unidos e dispositivos Android.

5. Refine suas palavras-chave

Não se limite ao mesmo conjunto de palavras-chave. Use pesquisa de palavras-chave e ferramentas de classificação para explorar novas possibilidades. Costumo fazer referência a SEMrush, Moz e outras fontes gratuitas como Ubersuggest ou Answer the Public para descobrir frases-chave que talvez nunca considerou usar.

6. Demonstre confiança e autoridade

O Google parece cada vez mais dar uma vantagem ao conteúdo do site que parece confiável. Você pode obter essa vantagem tendo especialistas oferecendo ideias úteis em artigos e listando suas credenciais em biografias curtas.

O foco na confiança vem do documento de 168 páginas do Google , Diretrizes do avaliador de qualidade de pesquisa do Google , que cita o valor da experiência, autoridade e confiabilidade (EAT). O Google elabora esses valores na seção de algoritmos de pesquisa de outro relatório, Como funcionam os algoritmos de pesquisa :

Além de combinar as palavras em sua consulta com documentos relevantes na web, os algoritmos de pesquisa também buscam priorizar as fontes mais confiáveis disponíveis. Para fazer isso, nossos sistemas são projetados para identificar sinais que podem ajudar a determinar quais páginas demonstram experiência, autoridade e confiabilidade em um determinado tópico.

7. Preste atenção aos URLs da página

Claro, os fatores de classificação variam. Mas você não deve negligenciar URLs. Mantenha-os curtos – três a seis palavras que reflitam o conteúdo. Muitas vezes, os sites diluem os URLs com tantas palavras que perdem sua eficácia.

Não recomendado:
https://www.forbes.com/sites/davidphelan/2019/12/09/how-to-use-apple-pay-express-transit-11-tips-as-the-brilliant-feature-hits-a-new-milestone

Recomendado:
https://fortune.com/2019/12/08/australian-wine-yellowtail-shiraz-burgundy-bordeaux/

8. Otimize para snippets em destaque

Felizmente, o Google não reserva lugar para sites grandes. Parece que qualquer site relevante pode ganhar o primeiro lugar. Confira o artigo CMI de Stephan Spencer:  OK, Google: Como faço para otimizar meu conteúdo para snippets em destaque?

9. Otimize as imagens do seu site

Ao processar imagens, sua equipe deve se concentrar no tamanho do arquivo, nome, texto alternativo e muito mais para o sucesso do SEO. Aqui estão alguns artigos excelentes para orientá-lo:

10. Use a marcação de esquema para definir melhor o conteúdo do site

Os desenvolvedores de sites e profissionais de marketing nem sempre reservam tempo para adicionar marcação de esquema (vocabulário semântico de tags). O código ajuda os motores de busca a identificar o significado do conteúdo. Incluí-lo pode afetar a forma como as informações são exibidas nos resultados da pesquisa – tudo, desde avaliações e eventos a produtos e receitas.

11. Faça vídeos para enriquecer seu conteúdo (e para SEO)

Os vídeos podem ser uma nova avenida para oportunidades de SEO. No YouTube, coloque um link para o seu site nas descrições (uma opção frequentemente esquecida). Além disso, como o Google mostra vídeos nas SERPs – acima das páginas normais do site – você pode obter exposição adicional. Não se esqueça de criar transcrições da página do site para classificar para mais palavras-chave, incluindo frases-chave de cauda longa. O Speechpad é um recurso.

12. Certifique-se de que seu site não tenha problemas de rastreamento

Os mecanismos de pesquisa podem não rastrear todas as páginas que você deseja que eles vejam. Eles podem ser impedidos pela estrutura geral do seu site ou por muitos redirecionamentos. Referência Google Search Console de tamanho até o seu desempenho website.

13. Remova ou bloqueie qualquer conteúdo fraco

Nem todo o seu conteúdo pode ajudar seus esforços de SEO . Problemas de paginação, conteúdo com apenas um parágrafo e páginas baseadas em uma única tag no WordPress têm pouco ou nenhum valor (ou seja, conteúdo fraco).

Se você tiver uma página de baixa qualidade que não tenha uma boa classificação, pode desencorajar os mecanismos de pesquisa de indexá-la. Use seu arquivo robots.txt para informar aos mecanismos de pesquisa quais páginas devem ser ignoradas. Dessa forma, o Google e outros buscadores darão mais peso ao conteúdo restante.

14. Evite fazer tudo apenas uma vez

Você criou um excelente conteúdo. Tudo pronto e revisado, publicou e nunca mais olhou para traz?

Pois isto é muito comum e talvez por isso não seja comum um site ranquear bem e sustentar suas posições por longo tempo. Um Mindset voltado para a análise e ajustes precisa ser adotado. Avaliar os indicadores e de repente adicionar um gráfico bacana ou acrescentar itens no conteúdo que correspondem com o que os usuários buscam pode trazer engajamento, que é um fator que considero ser muito importante para o Google. Revisite um cabeçalho de conteúdo de página e ajuste-o para obter mais algumas classificações de palavras-chave principais.

É ideal que estabeleçamos uma rotina para fazer auditoria no conteúdo de maneira leve, constante e periódica.

15. Preste atenção ao seu setor

Algumas das mudanças no algoritmo do Google, incluindo a Atualização do Medic de 2018, parece afetar alguns setores mais do que outros. É por isso que é útil rastrear as classificações de seu site, bem como seus concorrentes diretos e outros sites importantes em seu setor de negócios.

Embora você não saiba exatamente o que o Google muda, você pode monitorar quando suas classificações melhoram ou caem significativamente e ver se isso pode ser uma tendência do setor.

Otimização de SEO para 2020

É impossível prever e não ser afetado as vezes pela oscilação dos mecanismos de busca. Para ter sucesso, você deve ter uma base sólida com um design e estrutura de navegação de site sólido e jogar com seus pontos fortes. Você também deve identificar pelo menos três variáveis que sua empresa pode enfrentar com os recursos disponíveis este ano.

Você tem um conteúdo considerável para atualizar? Você pode criar novas páginas e acertar os elementos de SEO? Você é eficiente na criação de backlinks de sites de qualidade?

Onde você concentra seu tempo fará toda a diferença.